Ligações úteis
125 anos: Voluntários são imprescindíveis PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Segunda, 20 Outubro 2008 23:26
O Presidente da AHBVS garantiu, na sessão solene do 125.º aniversário, que os Bombeiros Voluntários de Setúbal “continuam a ser, sem qualquer sombra de dúvida, uma força imprescindível no sistema concelhio de protecção e socorro”.
José Luís Bucho dirigia-se a mais de uma centena de convidados e bombeiros presentes no Salão Nobre dos Paços do Concelho, numa sessão presidida pelo Secretário de Estado da Protecção Civil, e na qual usaram, também, da palavra, a Presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, o Presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Duarte Caldeira, e o comandante dos Bombeiros Voluntários de Setúbal, Paulo Sedas.
O dirigente da AHBVS salientou que estas cerimónias coincidem com o “princípio do fim” de mais uma das crises por que passou a associação ao longo dos seus 125 anos de vida, “esta uma crise financeira que pôs em causa a própria continuidade da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Setúbal”.
José Luís Bucho recordou que, em 2005, quando a actual direcção tomou posse, as dívidas a fornecedores e ao Estado rondavam os 750 mil euros, o parque de viaturas estava degradado e as instalações sem manutenção. “Mais importante: encontrámos sérias deficiências em matéria de equipamentos de protecção individual dos nossos bombeiros, o que, naturalmente, conduzia a uma menor operacionalidade”, recordou o presidente da AHBVS.
Hoje, garantiu o dirigente, a associação recuperou a “confiança dos vários parceiros, institucionais e empresarias, com quem se relaciona”. As contas atrasadas com o Estado, o principal credor, foram saldadas, incluindo uma verba significativa respeitante a juros de mora que a AHBVS quer agora ver perdoada. José Luís Bucho anunciou na cerimónia de aniversário que é intenção da associação “pedir ao Governo, por intermédio do Ministério das Finanças, e atendendo à missão de interesse público que desempenha, o perdão destes juros”. O dirigente da associação aproveitou a presença do Secretário de Estado da Protecção Civil para pedir a intervenção do governante “junto dos colegas do Ministério das Finanças para que a AHBVS consiga alcançar este justo objectivo.
O dirigente dos Voluntários de Setúbal garantiu que, hoje, os bombeiros encaram o futuro com maior confiança. “De tal forma assim é que hoje apresentámos algumas novas ferramentas essenciais ao cumprimento da nossa missão”. José Luís Bucho referia-se às viaturas, à embarcação e aos equipamentos acabados de inaugurar e que representam, para a AHBVS, um “investimento global de cerca de 120 mil euros”, dos quais 30 mil vêem da Autoridade Nacional de Protecção Civil, que atribuiu um apoio extraordinário, previsto na lei, pelos 125 anos da associação.

Tentativas de ingerência

Perante os vários responsáveis do sector presentes, nos quais se incluía o presidente da Autoridade Nacional de Protecção Civil, general Arnaldo Cruz, e o Comandante Distrital, Alcino Marques, o presidente dos Voluntários de Setúbal recordou que é “graças aos bombeiros que existem outras organizações estatais, criadas para apoiar e servir os soldados da paz, e não o contrário”. Esta é uma realidade, frisou o dirigente, que “não pode ser esquecida, embora nos pareça que tem havido muito essa tendência, com sucessivas tentativas de controlo e ingerência nas associações detentoras dos corpos de bombeiros, desde o patamar legislativo ao mais básico nível dos comandos distritais”.
A este propósito, o presidente da AHBVS classificou como “inaceitável” o atraso no pagamento das verbas das ECIN’s relativas a Setembro, que, “até à data não deram entrada” nos cofres da associação. “Inaceitável” foi também o termo utilizado pelo dirigente para classificar a “tentativa de silenciar a AHBVS sobre esta questão”, numa referência a comentários proferidos pela Governadora Civil de Setúbal a propósito da notícia publicada dias antes sobre o atraso no pagamento protocolado com as associações.

Ruptura com o passado

O Comandante dos Bombeiros Voluntários de Setúbal, Paulo Sedas, afirmou, na cerimónia, que se sente “honrado por ser o Comandante de uma casa que conta uma história de 125 anos. Foi em nome desta história que “rompemos diametralmente com o passado recente que quase nos aniquilou”, acrescentou.
O Comandante dos BVS recordou que, “para trás, ficaram os tempos da sucata, das instalações degradadas, e, sobretudo, da mentira!” Paulo Sedas salientou que a direcção que o nomeou dá ao Comando a “segurança indispensável para trabalhar” e, por essa razão, “nunca lhes estaremos suficientemente gratos por terem devolvido esta casa à vida”.
No que respeita às questões operacionais, o Comandante dos BVS afirmou que foi alterada a “visão estratégica” e o papel dos Voluntários é agora encarado no contexto de um dispositivo municipal que apresenta “especificidades”, assumindo-se a corporação de voluntários como um “parceiro do corpo profissional e não como um seu concorrente”. Por outro lado, Paulo Sedas fez questão de salientar que mudou, também, a “filosofia das viaturas velhas, que só serviam para se poder dizer que tínhamos muitas, pois avariavam vezes sem conta a caminho das intervenções”.
O comandante dos voluntários fez, a encerrar a sua intervenção, uma descrição pormenorizada dos novos meios de combate a incêndios apresentados nas cerimónias do 125.º aniversário.
 
Acima da média
 
A sessão solene de aniversário da AHBVS, teve, de acordo com vários convidados de outras associações e entidades ligadas aos bombeiros, “um nível acima de média”.
A sessão realizada na manhã de 19 de Outubro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, presidida pelo Secretário de Estado da Protecção Civil, José Miguel Medeiros, constituiu o ponto de alto das celebrações iniciadas no dia anterior, com uma romagem ao Cemitério de Nossa Senhora da Piedade para visitar a campa dos bombeiros falecidos, o descerramento de uma placa que assinala o local onde ocorreu a primeira intervenção dos Voluntários de Setúbal, em Janeiro de 1884, a imposição de distinções honoríficas a vários bombeiros e um simulacro de incêndio na casa escola do quartel da AHBVS, seguido de um lanche para todos os bombeiros e familiares.
Antes da sessão solene de domingo, iniciada às 11h15, já os representantes de várias associações de bombeiros do distrito e de entidades oficiais tinham assistido, no quartel dos bombeiros voluntários, ao hastear da bandeira e ao baptismo de uma sala e do ginásio com o nome do recentemente falecido presidente da Assembleia Geral, Mário Rui Tavares da Silva, e da Secil, empresa que financiou as obras de recuperação daquele espaço. Ainda no quartel, procedeu-se à inauguração da nova sede da Federação dos Bombeiros do Distrito de Setúbal pelo Comandante Aníbal Luís, presidente da FBDS.
Na Praça do Bocage, para onde se transferiram as comemorações a meio da manhã, foram benzidas pelo padre Miguel as novas viaturas e a nova embarcação dos Bombeiros Voluntários, já com a presença do Secretário de Estado da Protecção Civil.
José Miguel Medeiros subiria, pouco depois, ao primeiro andar dos Paços do Concelho para presidir a uma sessão que ficou, também, marcada pela entrega à AHBVS, pela presidente da Câmara Municipal, da Medalha de Honra da Cidade na Classe de Associativismo, da Medalha de Mérito de Protecção e Socorro, no grau ouro e distintivo azul, pelo Secretário de Estado da Protecção Civil, e do Crachá de Ouro da Liga dos Bombeiros Portugueses, colocado no estandarte dos Voluntários de Setúbal pelo presidente da LBP, Duarte Caldeira.
Momentos importantes da cerimónia foram, ainda, a tomada de posse do novo adjunto de comando, bombeiro João Silva, e a assinatura de um protocolo de geminação com a Associação de Bombeiros Juvenis e Voluntários de Sant Llorenç Savall, na Catalunha, e de um protocolo de cooperação com a Câmara Municipal de Setúbal.

Veja aqui as imagens das comemorações
Condecorações atribuídas na cerimónia
 
Medalha de Honra da Cidade na Classe Associativismo (atribuída pela Câmara Municipal)
Medalha de Mérito de Protecção e Socorro, no grau ouro e distintivo azul (atribuída pelo Governo)
Medalha de Cobre de Dedicação e Mérito da Liga dos Bombeiros Portugueses 
  • Oficial Bombeira de 2ª Classe - Carla Sofia Valido Costa Ramos
Medalha de Dedicação e Mérito da Liga dos Bombeiros Portugueses – Grau Prata
  • 2º Comandante – José Henrique Marino dos Santos
Medalha de Dedicação e Mérito da Liga dos Bombeiros Portugueses – Grau Ouro
  • Presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Setúbal – José Luís Bucho
Crachá de Ouro da Liga dos Bombeiros Portugueses
  • Sub-Chefe – Abílio Carvalho Simplício
  • Bombeiro de 2ª Classe – Manuel Mendão
  • Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Setúbal

 O aniversário na imprensa local